Você está aqui: Página Inicial / Notícias 2017 / Mapeamento mostra pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais

Mapeamento mostra pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais

 


Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Mapeamento mostra pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais

Fonte: Ministério dos Direitos Humanos

As rodovias federais brasileiras têm 2.847 pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes, segundo mapeamento realizado, entre 2017 e 2018, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em parceria com o Ministério dos Direitos Humanos (MDH) e a Childhood Brasil. O número, divulgado nesta segunda-feira (14), representa um acréscimo de 20% em relação ao estudo anterior, referente ao período de 2013/2014. Acesse a publicação completa.

 

Chamado de MAPEAR, o projeto se tornou uma importante ferramenta para subsidiar a atuação do poder público no combate a esse problema. O ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, afirma que políticas públicas devem ser criadas a partir de um diagnóstico. “Precisamos conhecer os números e saber onde os problemas acontecem para que a gente possa pensar as políticas públicas, especialmente nesta área tão sensível que é o combate à exploração sexual de crianças e adolescentes”, pontua.

 

A secretária nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério dos Direitos Humanos, Berenice Giannella, informou que serão repassados recursos do Fundo Nacional para a Criança e Adolescente para a elaboração da próxima edição do MAPEAR. Outra iniciativa em análise é a transferência dessa metodologia para as polícias estaduais.

 

A maior parte dos locais mapeados pela PRF encontra-se na área urbana, sendo que os ambientes mais propícios para a ocorrência de casos de exploração sexual nas rodovias são os postos de combustível, bares, casas de show, pontos de alimentação e pontos de hospedagem. Também são fatores determinantes a existência de prostituição de adultos, o ponto ser de venda/consumo de bebidas alcoólicas, a aglomeração/estacionamento de veículos em trânsito e a presença de caminhões/carretas no local.

 

Entre os pontos vulneráveis identificados, 489 foram considerados críticos, ou seja, onde é maior a possibilidade de ocorrência de exploração sexual de crianças e adolescentes. A PRF também mapeou 653, com alto risco; 776, com médio risco; e, por fim, 569 pontos como de baixo risco. No levantamento foi verificada uma queda de 14% nos pontos considerados críticos, entre os estudos de 2017/2018 e 2013/2014. Por outro lado, constatou-se uma “migração” de diversos pontos de maior criticidade para o interior das cidades, após as ações de repressão e das campanhas preventivas e educativas.

 

Segundo o mapeamento, o estado com o maior número de pontos críticos é o Ceará, com 81 no total. Em seguida estão: Goiás (53), Pará (52), Minas Gerais (48) e Paraná (29). As rodovias com maior possibilidade de ocorrência de exploração sexual de crianças e adolescentes são: BR 116, BR 101, BR 153 e BR 364.

 

De 2005 até hoje, a PRF retirou de locais de risco em rodovias e estradas federais um total de 4.766 crianças e adolescentes vulneráveis. As ações policiais são planejadas e executadas de acordo com o grau de vulnerabilidade, que acaba determinando a forma e a urgência das respostas.